Espasmos musculares na coluna lombar podem atingir de superatletas a pessoas não praticantes de esportes.

12 Jul

Cuidados com a alimentação e com o corpo ajudam a prevenir este tipo de problema.

Quem nunca sofreu com uma dor lombar? Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 80% da população mundial sofrem ou em algum momento da vida sofreram com problemas na coluna. Esse número, por exemplo, só é inferior ao número de pessoas que já tiveram dor de cabeça.

Há pouco mais de uma semana, o jogador Marcelo, lateral-esquerdo da seleção brasileira de futebol, foi mais uma vítima inesperada de um tipo de problema nas costas. Durante a partida contra a Sérvia, em jogo válido pela Copa do Mundo de futebol, ele sentiu fortes dores na região e acabou sendo substituído com apenas nove minutos de partida.

Após o jogo, muito se falou sobre a lesão, que acabou sendo diagnosticada como um espasmo muscular na região lombar. A partir disso, começaram as especulações referentes às causas e ao tempo de recuperação, que em casos específicos, pode ser muito rápida. 

Mas, de fato, você sabe o que é um espasmo muscular? Na verdade isso é apenas uma contração involuntária de um grupo de músculos do corpo humano, que inclusive pode acontecer em outras partes, como por exemplo, pernas, braços, etc. Especificamente na coluna, esse tipo de problema é relativamente comum, e pode atingir qualquer pessoa, incluindo superatletas ou pessoas sedentárias. 

De acordo com o Dr. Antônio Carlos Sábio, ortopedista especialista em cirurgia da coluna que atende pela Clínica Orthos, esse problema pode ser motivado por um estresse muscular, ou até mesmo em função de movimentos bruscos. “Atletas de alto rendimento são mais suscetíveis a esse tipo de contratura muscular, mas uma pessoa que não tem o hábito de praticar esporte de alto nível também pode ter esse tipo de problema”, diz.

Segundo o Dr. Antônio Carlos, assim como ocorreu com Marcelo, na maioria dos casos o tempo de recuperação não é longo, mas exige atenção  por parte do paciente. “O primeiro passo é consultar um médico especialista. Além disso, para se recuperar é necessário fazer algumas sessões de fisioterapia e alongamento”, afirma o Doutor.

Então a dica é evitar esforços físicos extenuantes, cuidar a alimentação, evitar a ingestão de grandes quantidades de sódio e potássio. Uma boa fisioterapia, alongamento e um trabalho de reforço muscular também contribuem positivamente para manter a saúde do corpo em dia e evitar esses espasmos. 

PROGRAMAS ORTHOS

ARTIGOS

29 Aug
Diferente da ortopédica, ela atua em reabilitação e preve...
17 Aug
Contato com água aliado à fisioterapia otimiza os resultad...

VÍDEOS